sexta-feira, 31 de março de 2017

Resenha - Donnie Darko

Boa tarde gente! Hoje vim falar de um livro singular que deixou minha cabeça ao ponto de enlouquecer com tamanha complexidade. Trata-se de Donnie Darko, da amada Darkside books. Donnie Darko originalmente ganhou uma legião de fãs com seu filme lançado em 2001. Dirigido por Richard Kelly, um autor excêntrico, esse filme gera diversas discussões até os dias de hoje, pois o mesmo não tem uma explicação definitiva, deixando em aberto para as mais diversas conclusões.


Capa do filme.




Bem, o livro da Darkside não traz a história de Donnie Darko em uma versão romanceada, como eu achei que seria quando soube do lançamento. Traz o roteiro final usado pelo elenco e por toda equipe do filme, incluindo detalhes das câmeras e horários das cenas. É quase a mesma coisa que assistir ao filme, só que sem imagens. 
Tem um tempo que assisti ao filme, e ao ler o roteiro, me senti assistindo pela segunda vez. Relembrei de quase tudo, até das piadinhas.





Temos um prefácio escrito por ninguém menos que  Jake Gyllenhaal, o ator que interpreta o Donnie no filme.
Depois uma entrevista muito legal com o Richard Kelly e em seguida o roteiro completo e muito bem escrito do mesmo. O que achei foda foi a inclusão do livro da vovó Morte ao final do livro, além de algumas imagens do filme. Essa edição ficou realmente incrível e linda, sem falar dessa capa maravilhosa.♥


Agora vou tentar resenhar esse livro, o mais complexo desde que iniciei o blog.

Donnie Darko é um adolescente esquizofrênico que  um dia acorda no meio da noite e se depara com alguém usando uma fantasia grotesca de coelho. Esse alguém diz para Donnie que o fim do mundo está próximo e que ele veio salvá-lo. Em seguida diz alguns números para ele: 28 dias, 06 horas, 42 minutos e 12 segundos. Esse é o prazo que ele dá para o garoto agir.

Imagem do filme.
Uma turbina de avião cai na casa da família Darko, especificamente no quarto de Donnie... Mas ele escapou de uma possível fatalidade, ao ser salvo por Frank, o coelho bizarro, que o tirou de casa e o colocou no campo de golfe. 
Ele continua tendo encontros com  Frank, inclusive menciona esses diálogos para sua psicóloga.  Frank manda Donnie fazer coisas absurdas como quebrar o encanamento da escola e até incendiar a casa de Jim Cunningham. Donnie se vê obrigado a fazer tudo isso, gerando problemas na escola e com seus pais e imãs. 

Donnie e Gretchen no cinema, com a aparição de Frank.
Frank passa a conversar com Donnie sobre viagem no tempo, fazendo ele se interessar pelo assunto e buscar algumas respostas com o Dr Monnitoff, seu professor de física. O mesmo entrega a Donnie um livro antigo chamado "A filosofia da viagem no tempo", escrito por Roberta Sparrow, que Donnie logo descobre ser a vovó Morte, uma mulher idosa de 101 anos que todo dia vai na sua caixinha de correios ver se tem alguma correspondência para si.
Donnie vai em busca da vovó Morte, afim de entender toda a situação em que está vivendo e assim fechar de vez o ciclo que foi interrompido devido à turbina que modificou a ordem natural das coisas.

Gente, grande parte do entendimento desse filme é baseado no livro "A filosofia da viagem no tempo", da vovó Morte, então eu sugiro a leitura de Donnie Darko, pela Darkside, pois nele tem o livro com diversos conceitos necessários para o entendimento da história, como o universo tangente, artefato, receptor vivente, viventes manipulados, mortos manipulados, etc.


Parece complexo, mas eu só posso dizer uma coisa... É COMPLEXO MESMO!
Mas com a leitura do livro da vovó Morte, dá pra ter uma noção do papel de cada personagem na história.
Ao meu ver, Donnie teve uma oportunidade de voltar no tempo e resolver algumas coisas que estavam pendentes e que precisavam ser resolvidas.

Diante dessa tentativa, talvez não muito feliz, em tentar falar dessa história, eu espero que tenha despertado a curiosidade de vocês. Então leiam e assistam ao filme. Não importa a ordem, pois o roteiro é o filme!

Até mais e boa leitura!

quarta-feira, 29 de março de 2017

Resenha - O Símbolo Perdido

Bom dia gente! Depois de quase séculos, finalmente terminei a leitura desse belíssimo livro. Acabei focando em séries e abandonei o livro que estava lendo. Azar o meu, pois O Símbolo Perdido é um livro sensacional, assim como O código da Vinci e Anjos e demônios, outras obras famosas do Dan Brown. O Símbolo Perdido é o terceiro livro onde temos como personagem principal o simbologista Robert Langdon. No entanto, os livros podem ser lidos em qualquer ordem, pois os mesmos são independentes. Ler na ordem de lançamento foi apenas uma escolha minha.


O livro inicia quando Langdon recebe um telefonema da secretária de seu grande amigo Peter Solomon, para fazer uma palestra em Washington, capital dos Estados Unidos. Na ocasião, pediu que o mesmo levasse o pequeno embrulho que Peter havia lhe confiado há um tempo atrás.
No entanto, ao chegar em Washington, Robert se surpreende ao notar que não havia palestra alguma e que esse convite não passava de uma forma de atrair o professor até o Capitólio.
Robert descobre que Peter foi sequestrado e que a única condição de salvá-lo ainda com vida, seria desvendando um peculiar enigma à uma pessoa também muito peculiar.
Langdon se depara com nada menos do que uma mão decepada, ou melhor, a mão direita de Peter na vertical, com a superfície plana do pulso seccionada fincada em uma base de madeira pontiaguda, onde três dos dedos estavam fechados, enquanto o polegar e o indicador se encontravam esticados, apontando para cima em direção à cúpula altíssima da Rotunda do Capitólio.
Inoue Sato, a autoridade suprema do Escritório de Segurança da CIA logo tem conhecimento dessa anomalia no Capitólio, e juntamente com Langdon, tenta desvendar todo o mistério por trás disso.



Há uma lenda sobre uma pirâmide maçônica que diz que quem conseguisse decifrar os seus mistérios, chegaria a sabedoria suprena. Mais que isso, chegaria à uma espécie de estado de divindade.
Diante disso, Langdon se vê obrigado a desvendar tal mistério, tendo em vista ser o desejo de Mal'akh, o sequestrador de Peter. 
Katherine, irmã de Peter, ajuda Robert nessa empreitada, buscando a todo custo salvar o irmão das mãos desse ser completamente singular.


Esse livro é incrível, até agora não entendo porque o mesmo não foi convertido em filme, assim como os outros da série Robert Langdon. Mas enfim, a leitura foi maravilhosa e a história mais ainda. 
Indico muito a leitura à todos! ;)
Até mais e boa leitura!

Resenha - Morte: Edição Definitiva

Bom dia gente! Hoje vim resenhar uma HQ maravilhosa, cativante, linda e perfeita! Sim, é isso tudo mesmo e muito mais. A Morte é um dos meu...