segunda-feira, 16 de abril de 2018

Resenha - O Caçador de Apóstolos

Bom dia com muita chuva! Hoje vim resenhar para vocês um livro de fantasia medieval de um autor brasileiro que eu só conhecia por nome: O caçador de apóstolos de Leonel Caldela. Ele já escreveu alguns livros publicados pela Nerdbooks, mas essa obra que falarei hoje foi uma de suas primeiras, tendo sua publicação feita em 2010.
Ganhei esse livro em um amigo secreto de uma pessoa muito apreciadora de RPG e fantasia, então logo criei boas expectativas. O melhor é que eu ganhei esse e a continuação "Deus máquina", sequência de O Caçador de Apóstolos, então em breve lerei e postarei aqui. 
Em relação ao material do livro, achei meio mole e maleável demais, mas leve e de boa qualidade.


A história desse livro se baseia no poder maior, ou seja, a Igreja. Só que aqui a Igreja é tirana, onde as pessoas não tem acesso à informação e tudo em que acreditam são ditados pelos cardeais. Desde criança, a população era treinada rigorosamente a respeitar a Igreja e não questioná-la.
Urag é o Deus deles e a Voz de Urag é uma espécie de profeta, ou seja, é aquele que tem o dom de receber mensagens de Urag, devendo assim transmiti-la à população de fiéis. A Voz de Urag é sempre uma mulher e o livro fala sobre algumas das Vozes que já existiram, apesar de o conhecimento das mais antigas serem bem remotos.
O livro é dividido em três partes. Na primeira, intitulada "O diabo está morto", temos Iago, o narrador personagem, e Atreu, personagem principal do livro. Atreu é um rebelde, sempre duvidou e questionou a Igreja, nunca escondendo sua incredulidade e sendo por isso considerado o Soldado do Diabo.
Na segunda parte do livro, com título "Retrato do guerreiro quando jovem", temos a história de Atreu, onde mostra sua infância até se tornar um cavaleiro. Mostra também outro personagem muito interessante, chamado Ganimedes, que é um personagem, que apesar de tudo que passa, se mantém fiel.
O enredo vai tomando forma com base em duas profecias. A primeira diz que "Haverá dois soldados, um de Deus e um do Diabo". A segunda fala sobre uma Voz de Urag corrupta, dá época em que a líder da Igreja trairia seu povo e faria a guerra contra os cardeais.
É aí que entra Jocasta, uma personagem fundamental na história e bastante focada na terceira parte do livro, intitulada "Deus no corpo de Jocasta". Jocasta parece ser a nova Voz, uma vez que a mesma tem visões e recebe mensagens divinas. 
A história mostra a guerra entre a Igreja e os rebeldes, com belas descrições de lutas e personagens


Enfim, é um bom livro de fantasia. Recomendo.
Espero que tenham gostado da resenha.
Até mais e boa leitura!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Resenha - O Caçador de Apóstolos

Bom dia com muita chuva! Hoje vim resenhar para vocês um livro de fantasia medieval de um autor brasileiro que eu só conhecia por nome: O c...