segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Resenha - A Vida, o Universo e Tudo Mais - Volume Três da Série O Mochileiro das Galáxias

Boa tarde gente! Estou animada porque estou de férias do trabalho, aliás, hoje já fazem 14 dias. :(
Mas enfim, estou aproveitando esse mês para malhar e fazer uma reeducação alimentar e isso também está me deixando mais disposta, então vamos lá resenhar!
O livro que falarei hoje se trata do terceiro volume do Mochileiro das Galáxias, intitulado A vida, o universo e tudo mais.
Para começar, eu gostei do livro e tal, mas achei inferior aos volumes anteriores. É um livro denso, mas continua com aquele humor típico do Douglas. Achei a narração meio bagunçada. Eu sei que o estilo do Douglas Adams é esse, de deixar a cabeça confusa, mas a leitura desse volume foi pesarosa e senti uma certa preguiça de concluir. Mas ouvi falar bem do quarto livro, então me animei para continuar a ler a coleção até o fim.
A capa é bem bonitinha, com todos os elementos ali mostrados presentes na história.


Arthur Dent e Ford Prefect se separaram quatro anos antes e este primeiro se encontrava ilhado numa Terra Pré-histórica como resultado de uma complexa sequência de eventos.
Ao ouvir um pequeno zumbido, se depara com uma nave na qual desce pela rampa uma silhueta alta chamando Dent de idiota. Se tratava de Wowbagger, o Infinitamente Prolongado. Era um homem com um objetivo que consistia em insultar o Universo em geral e cada um dos seus habitantes em particular. Isso porque ele se tornou um ser imortal através de um acidente.
Depois de um longo tempo, Ford Prefec e Arthur Dent se reencontram ainda na pré-história, quando Prefect anuncia que os dois estão de partida pois este detectou perturbações na corrente. Mais precisamente, uma perturbação em movimento na tessitura do espaço-tempo de um zéfiro, um núcleo de instabilidade bem próximo dos dois. Assim, surge um sofá Chesterfield no campo bem a frente deles e foi nele que os dois amigos foram parar em um campo de críquete. No mesmo campo, surge uma espaçonave branca que pertencia a Slartibartfast. Arthur não sabia, mas estava iniciando mais uma aventura: salvar o Universo dos robôs xenófobos do planeta Krikkit.



Krikkit é um planeta que está dentro de uma nuvem de poeira e desconhece qualquer outra forma de vida além das que lá habitam, já que esse planeta era o único de seu sistema solar.
No entanto, após cair uma nave no planeta, Krikkit percebeu que existia algo mais além dele. Dessa forma, decidiram que deveriam destruir todo o universo, tudo aquilo que não fosse krikkit. Quando foi declarado guerra, o Magistrado Pag, a fim de acabar com ela, mandou trancar o planeta em um envoltório chamado Tempolento. A partir daí, nossos queridos personagens entram em cena para libertar o planeta do Templotento.

Apesar da leitura densa, é um bom livro. Não é o meu preferido da série, mas merece a leitura, pelas críticas de Douglas Adams e pelo humor maluco. haha Enfim, leiam e tirem suas próprias conclusões.
Boa leitura! ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Resenha - Mestre Gil de Ham

Bom dia gente! Hoje vim resenhar para vocês o segundo livro que li do mestre da fantasia J. R. R. Tolkien: Mestre Gil de Ham. É um livro cu...